Governança Corporativa
e Gestão de Riscos Corporativos

Embora a idéia de governança corporativa seja muito antiga, o termo “governança corporativa” em si passou a ser disseminado somente nos anos 80 do século passado, tendo aparecido, pela primeira vez, no diário oficial dos EUA em 1976. O surgimento de códigos de melhores práticas de governança corporativa, centrados no papel do conselho de administração e na governança dentro das empresas para proteger os direitos dos acionistas, ocorreu nos anos 90: o primeiro deles, The UK Corporate Governance Code, foi produzido em 1992 pelo Cadbury Committee.

O Brasil tem evoluído rapidamente em normatização e regulamentação relacionada à Governança Corporativa e Gestão de Riscos Corporativos. No campo da iniciativa privada, o Código Brasileiro de Governança Corporativa incorporado na Instrução da CVM - ICVM 480/09, e com redação dada pela ICVM 586/17 exige que companhias abertas cumpram os itens especificados no Código ou expliquem suas práticas. (Comply or Explain)

O Código do IBGC alinhado a princípios recentes de governança corporativa da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Economico) conferem responsabilidades finais de desenho, supervisão e monitoramento dos sistemas de gerenciamento de riscos corporativos aos conselhos de administração e seus comites. Cabendo à diretoria executiva a execução, sendo esta a responsável pela elaboração e implementação de todos os processos relacionados à gestão de risco. Na esfera da administração pública, progressos recentes foram alcançados com o Decreto 9.203/2017 que dispõe sobre a política de governança da administração pública federal direta, autárquica e fundacional.

Mesmo com a existência de diversos frameworks, diretrizes e pesquisas empíricas já analisadas, há evidências de que a adoçao de gerenciamento de riscos na prática das empresas ainda não está plenamente disseminada. Recente pesquisa conduzida em 2018 pela KPMG no Brasil concluiu que a maioria das empresas respondentes (56%) apresentam nível de maturidade em Gestãoo de Riscos abaixo da classificação “maduro”.

A Vicenzi Santiago está preparada para apoiar as organizações de qualquer tamanho a alcançarem nível adequado de governança e gestao de riscos para criação e proteção de valor a sócios, acionistas e investidores.

Estruturas de Governança Corporativa;
Politicas de Gestão de Risco;
Risk Assessment;
Matrizes de Riscos;
Apetite de Riscos;
Controles Internos;
Desenho de Controles Internos;
Testes de Eficácia de Controles;
Sistema de Gestão de Riscos | Saiba mais em RISKID
Contate-nos